Menu Fechar

Strutslaug

Quando viajamos procuramos encontrar aqueles locais incríveis com paisagens únicas e de preferência o mais afastado da civilização possível. Mas melhor do que ver é estar nesses locais, tentar fazer parte deles como se lá vivêssemos. É por isso que os acampamentos são talvez a parte mais importante das nossas viagens. Ao longo dos anos tivemos o privilégio de poder acampar em alguns locais inesquecíveis. Seja no cimo de montanhas, junto a praias isoladas ou no meio de glaciares, sempre com tenda e são sem dúvida dos momentos mais espetaculares das viagens.

A montanha Maelifell no Maellifelsandur
O início do caminho até ao lago
Na nossa travessia pela Islândia de bicicleta não faltaram desses momentos, mas houve um em particular muito especial.
Já estávamos no 5º dia da travessia, reservado para atravessar o espetacular deserto de areia preta o Maellifelsandur. Depois de passarmos a montanha Maelifell chegámos ao refúgio de Strutur onde íamos começar uma das mais difíceis jornadas de toda a viagem. O guarda do refúgio tinha dito que o caminho era difícil, mas até se fazia de bicicleta, mas a realidade foi outra! Tínhamos 7kms pela frente por uma pista abandonada quase invisível. Descidas e subidas intermináveis a empurrar bicicletas e atrelado que se tornavam um pesadelo dado o terreno empapado pela chuva. As paisagens e a expectativa de chegar à lagoa de água quente de Strutslaug davam-nos forças para continuar o caminho.
Apesar das dificuldades as paisagens são impressionantes

Tivemos de acampar a meio do percurso com uma paisagem arrebatadora e no dia seguinte, depois de quase 10h desde que saímos do refúgio, avistamos finalmente o enorme vale onde se situava a tão desejada lagoa de água quente. O fumo ao longe não deixava enganar. Estávamos a chegar a Strutslaug. A última subida tinha sido muito complicada, o caminho já quase não se via e tivemos de empurrar as bicicletas e atrelado por entre rios gelados. E a chuva essa não nos deu descanso, dia e noite sempre a chover.

Caminho complicado para bicicletas carregadas
No fim da última subida o vale onde se situa o lago

Quando finalmente chegámos, e apesar do frio que se sentia, os nossos dois filhotes nem pensaram duas vezes. Roupa para o chão e entraram na lagoa sem pensar. Sem medo e com uma felicidade sem descrição. Já vinham a ouvir falar da lagoa de água quente desde que saímos de Reykjavik, a expectativa era imensa. A tenda montamos a cerca de 1 metro da lagoa. A envolvente era absolutamente incrível. Rodeados por montanhas e pequenas gargantas de onde brotavam as nascentes de água quente que alimentavam a lagoa. Mais acima sabíamos que estava o glaciar de Torfajokull apesar de não o vermos. À nossa frente o gigantesco vale com os vários rios de águas glaciares. Passámos a tarde e a manhã do dia seguinte quase sempre dentro de água. Os miúdos esses, por eles já não saiam mais daquele lugar. Passavam ali o resto das férias! O mais incrível deste lugar é o difícil acesso e o quão isolado se encontra. Não há acesso de carro, jipe ou qualquer veículo motorizado. Só a pé, de bicicleta (com dificuldade) ou de helicóptero como vimos pouco antes de seguirmos viagem.

A sensação de estar ali, depois de todas as dificuldades que tivemos para chegar e acampar junto a uma piscina de água quente quase privativa com uma paisagem tão sublime era algo único e foi sem dúvida a melhor forma de celebrar o ano em que o Mário fez os 40 anos. Nós, claro, tivemos de continuar viagem, a muito custo. As paisagens fantásticas continuaram, mas aquele lugar, a experiência que tivemos naqueles dias marcou-nos profundamente. Foi o melhor acampamento que já fizemos, e sei que se não voltarmos aquele lugar dificilmente voltaremos a ter uma experiência como esta. Afinal Islândia só há uma e o Strutslaug também é só um!

Imagem aérea de todo o vale com as água provenientes do glacial Torfajokull
Posted in As nossas viagens, As nossas viagens Bikepacking

2 Comments

  1. jose miguel farinha duarte

    Boa tarde
    palavras não há para a vossa coragem e determinação TOP TOP
    tenho acompanhado as vossas aventuras e até já fiz uns tracks aqui na zona da quinta do conde para vocês
    mais uma vez digo sempre que passem pela Quinta do conde e precisem de alguma coisa a minha casa esta as vossas ordens.
    boa continuação deste grandes passeios com os mais pequenos

    • mamaoverlander

      Muito obrigada pelas palavras José =) Um dia temos de combinar por aí qualquer coisa, seria um prazer. Boa continuação de passeios por aí também!

Deixar uma resposta